22 de abr de 2011

Drogheda (Ireland)

 Oi pessoal.
 Hoje vou falar do passeio que fiz com a Nana aqui em Drogheda no dia 16/04/2011. Para quem ainda não sabe, Drogheda é a cidade onde eu trabalho de au pair e moro. Fica 1h de distância de Dart, do centro de Dublin.
 A Nana veio na sexta-feira (15/04). No sábado fomos de manhã para o shopping com as crianças, porque a minha chefe tinha marcado salão de beleza (que é no shopping), então fomos junto para entreter as crianças.

Enquanto tomávamos café...

As crianças brincavam.

Lindas.

Colocamos a Ava para trabalhar.

Nana e as gurias.

Eu e as gurias.

Elly, Laíza e Ava.


 Como vocês puderam perceber no vídeo, existia uma cabeça no meio da Igreja. E nós não sabíamos o que significava aquilo. Achei super estranho, parecia mais um cenário de filme de terror aquela Igreja linda, enorme e com uma cabeça no meio.
 Quando falei para minha chefe da cabeça, e perguntei o que era, ela me perguntou "Tu não leu a história da cabeça que tem lá? Não leu as plaquinhas". E óbvio que eu disse a verdade para ela. Não li. E também nem tinha como ler alguma coisa com aquelas duas maluquinhas correndo na Igreja, nem consegui analisar a cabeça direito. haha
 Enfim, agora, antes de postar no blog, fui pesquisar à respeito da tal cabeça...


Head of St Oliver.
 São Oliver Plunkett nasceu em 01 de novembro de 1625, nessa época a Igreja Católica e seus ministros eram reprimidos. Em 1647 Oliver foi para Roma estudar o sacerdócio e foi ordenado sacerdote em 1654. Três anos depois foi nomeado professor de Teologia. Em 1669 foi nomeado como Arcebispo de Armagh. Em 1679 foi preso acusado de traição. Foi transferido para Londres, e lá condenado à morte. Foi enforcado em Tyburn, na Inglaterra em 01 de julho de 1681. Sua cabeça foi resgatada do fogo por alguns de seus amigos e posta na St Peter's Church, em Drogheda, onde está alojada especialmente em um santuário de veneração.
 Dizem que todos os anos, no dia 01 de julho, existe uma celebração aqui em Drogheda, da data em que ele morreu. Mas não sei se isso é verdade, e provavelmente eu não estarei aqui para ver se realmente é verdade.
 Enfim descobrimos a história da bendita cabeça. hahaha

 Nós realmente estávamos perdidas. Depois que a minha chefe saiu do salão, largamos as crianças com ela e fomos passear pelo centro de Drogheda. Só que na volta foi um problema, eu fui por um caminho onde eu achava que pegaria um atalho (sempre que eu invento um atalho dá errado, eu já deveria ter aprendido isso). Sério, caminhamos mais do que 1h, se duvidar até 2h ficamos caminhando. Chegamos em casa mortas e a Nana fez aquela esperta massa com molho branco que eu simplesmente AMO.

Perdida em Drogheda.
 Então por hoje é só gentarada. Espero que tenham gostado de conhecer um pouquinho de Drogheda.

Música do dia!
"On me dit que nos vies ne valent pas grand-chose. Elles passent en un instant comme fanent les roses."

5 comentários:

  1. Hellooo gemia!
    que amor essas crianças, parecem bonequinhas, branquinhas e loirinhas :]
    e que horror essa cabeça, certo q eu me assustaria se visse pessoalmente huiahauihai.

    aah é só tu que trabalha de au pair ai das tuas amigas?
    bj bj bj bj bj

    ResponderExcluir
  2. Oi gêmiaa!! Não, tem mais umas gurias que são au pairs. Aqui o emprego mais fácil de encontrar é esse. =)

    ResponderExcluir
  3. Ahhh, mt bem!!! Descobriu o que era a tal da cabeça xD

    adorei o findi e adorei tuas crias...


    ameeei a música xD
    tu me conhece ;]

    ResponderExcluir
  4. q isso meu nédo cabeça sem corpo
    q selvageria heim ainda bem q essa época ja passou

    e tu continua se perdendo com estes teus atalhos
    bju

    ResponderExcluir